Rob Wallis: o papel do líder de caminhada é essencial

A organização britânica “Ramblers”, já com 22 anos de experiência, define as caminhadas pela saúde como atividades sem custos para os participantes, acessíveis a todos, feitas em terrenos planos e zonas seguras, com uma frequência regular e orientadas por um líder. As caminhadas pela saúde são especialmente pensadas para as pessoas mais inativas ou com doenças prolongadas, mas todos são bem-vindos.

Reproduzir vídeo

Rob Wallis, o gestor do programa “Walking for Health”, esteve em Portugal, no dia 16 de junho, a convite do Coletivo Zebra, para dar formação sobre liderança de caminhadas pela saúde. A ação teve lugar central na Unidade de Saúde Familiar Monte da Lua, em Sintra. O dia contou com momentos de reflexão, debate, resolução de problemas e, claro… uma caminhada.No total, o grupo contou com 22 participantes. Da experiência retiraram-se várias aprendizagens sobre a organização desta atividade.

O líder das caminhadas pela saúde é a pessoa que prepara o percurso – e o testa antes de levar o grupo – e que tem em conta as condições de segurança e acessibilidade do caminho.
Ocupa o lugar dianteiro da formação e vai dando orientações sobre a direção a tomar e os cuidados a ter.
O ideal é que haja um líder para cada cerca de 14 pessoas, mas os voluntários de apoio são sempre bem-vindos. Os voluntários garantem que ninguém fica para trás e, juntamente com o líder, tentam perceber se os participantes se estão a sentir integrados.
O líder pode – e deve – trazer a sua marca pessoal para os percursos que prepara: sugerir temas de conversa, partilhar factos interessantes sobre os locais por onde o grupo passa, escolher caminhos diferentes.

As caminhadas pela saúde são, por definição, inclusivas
Sendo especialmente destinadas às pessoas mais inativas ou com doenças prolongadas, as caminhadas pela saúde são para toda a gente – das crianças aos séniores, dos desportistas às pessoas com limitações motoras, dos solitários aos que gostam de socializar.
É uma atividade gratuita e que não implica a deslocação de transportes para chegar ao ponto de partida.
Para além destas questões, Rob Wallis lembra ainda que a melhor forma de motivar as pessoas a aderirem a estas caminhadas é através da participação de amigos e da explicação clara de que a atividade é ajustada a todos os participantes.

ANDAR A PÉ MUDA TUDO: São muitas as razões para andar a pé e outras tantas as motivações.

A ABRIR CAMINHO: A Ciência explica-nos os benefícios de andar a pé. Quem pratica também.

A CRIAR RAZÕES E MOMENTOS para ir a pé. 

LIBERDADE E INDEPENDÊNCIA: Andar a pé é uma forma de ser livre. Ao seu ritmo e no seu tempo.

© All rights reserved

Made with ❤